Tecendo o mar…

Imagem

Senti-me, imensamente, inspirada ao ver essa obra de arte de Alex Alemany… Belíssima!

Vez por outra fico tecendo o mar
Alinhavando pensamentos e emoções
e, na medida do possível, construindo sonhos…
É o que sei e gosto de fazer.
É um aprendizado.
É minha vida.
Sou eu!

Cativemo-nos…

Imagem

“… não vou te deixar
porque me cativastes
Agora és responsável por aquilo que cativas…”

Palavras ecoando ainda estão
Por isso deixo a você, Arcanjo, que me cativou
e faz a cada dia minha alma cantar,
um cadinho dos meus alinhavos poéticos
simples maneira de nos co-responsabilizar…

Como fazê-lo entender
Que muito do meu falar
São expressões do meu bem querer
Nada há muito a se explicar
Apenas sentir, viver e amar…

Sigo, sentindo sensações suaves, sinalizando sentimentos sem subtrair  sua subjetividade…

Ter ou não ter…

Imagem

Estou aqui pensando no que li…

“… Ter alguém é escolha, escolher permanecer junto uma decisão; e exige compromisso, entrega, honestidade e dedicação.
Amor é não enjoar de amar!
Rostinho bonito envelhece,
maquiagem sai com água,
pele bonita enrruga,
cabelo lindo fica branco,
corpo definido cai,
mas o caráter fica…”

Rostinho bonito? Deixou marcas e foi marcado pelo tempo…
Maquiagem? Desfez-se em purpurina e brilha n’alma…
Pele bonita? Ah, essa já enrrugou-se…
Cabelo lindo? Prateou-se qual raio de luar…
Corpo definido? Há tempo definiu-se como caidinho pela vida…
Caráter? Esse existe, mas faz tempo que não é valorado e acaba passando despercebido… C’est la vie!

Será por isso que vivo só… “Só nhando!”
Mas como bem disse minha amiga, Catarina Ribeiro, lá no facebook “passar o Dia Dos Namorados solteiro é o mesmo que passar o dia de finados vivo. Você não participa da comemoração, mas pode ser que esteja bem melhor que os homenageados!”

Sigo com meus questionamentos filosóficos, mas não ficarei mais expondo-os, por hoje, porque o texto já ultrapassou o limite da “leitura degustável”… Até a próxima!

Lembrem-se…Ter alguém e escolher permanecer junto a esse alguém é uma escolha que requer uma decisão consciente e amorosa.

Sintam-se beijad♥s por mim…

Visualizando o tempo… É tempo de se ter tempo!

E cá estou eu a pensar, de novo, no tempo. Não apenas no que se foi, mas, principalmente, no que estou a viver… Obrigada, Senhor, por mais esta oportunidade!

Como bem disse o Pessoa, o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. Hoje, percebo quão precioso é esse meu tempo aqui, envolto nos caminhos da vida, que me fazem parar e agradecer por esses momentos e por todos que me perpassam… Obrigada, amigos, por tanto amor e aprendizado!

Quintana há muito me havia alertado que não devíamos fazer da nossa vida um rascunho, pois poderia não termos tempo de passá-la a limpo. Portanto, só me resta viver, nesse tempo que me foi dado, com todo amor, até porque ♪… É preciso amar as pessoas, como se não houvesse amanhã… ♪

Essa idéia do amanhã, como o imponderável que não se tem fim, me traz à tona o conceito de eternidade… Seremos ou não? Ah, eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata, já dizia Drummond.

Em compensação, Lispector nos aponta outra faceta, a de que o tempo passa depressa demais e a vida é tão curta. Então — para que eu não seja engolido pela voracidade das horas e pelas novidades que faz o tempo passar depressa — eu cultivo um certo tédio. Degusto assim cada detestável minuto. E cultivo também o vazio silêncio da eternidade da espécie. Quero viver muitos minutos num só minuto… A cada um o seu livre arbítrio, claro! Ai, ai… C’est la vie!

Também admiro a sabedoria shakespeariana… O tempo é muito lento para os que esperam. Muito rápido para os que tem medo. Muito longo para os que lamentam. Muito curto para os que festejam. Mas, para os que amam, o tempo é eterno. E chega Vinícius com todo amor, em seu soneto da fidelidade, nos dizendo… Que seja eterno enquanto dure! Então, fazer o quê?

Não tenho todas as respostas, mas muitas indagações. Em alguns casos, até concordo com o Rubem Alves quando diz que, já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas. As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos. Quero a essência… Minha alma tem pressa!

Sim, tenho pressa, mas só quando penso na compreensão da essência humana, do contrário sou que nem o Neruda… Me encante com uma certa calma, sem pressa. Tente entender a minha alma! Quer beleza maior que a busca do entendimento humano? Não há nada e nem tempo que nos impulsione a não fazê-lo. ♪…Depende de nós, se esse mundo ainda tem jeito… ♪

E como bem disse Saint-Exupéry, foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante… Tão ou mais sentimento refletiu em mim, pois foi o tempo que perdeste em vir me felicitar, que alegrou meu dia. Não só me cativou, mas me tornou co-responsável, também, por embelezar os seus… Obrigada!

Beij♥s eternizados pelo tempo… Haja amor!

Celebrando a Vida… Haja Tempo!

Estou aqui a pensar, como se não fizesse outra coisa, mas é que sou assim mesmo… Um tanto quanto filosófica!
E esse meu pensar, hoje, véspera do meu aniversário, leva-me de volta ao fantástico mundo musical, do qual mais vivo lá, que cá… Preciso disso pra viver mais harmônica. Nem sempre consigo, é vero, mas persisto nesta busca.

Ah, o tempo, como gostaria de retê-lo. Não que deseje permanecer eternamente jovem, até por que, com o passar dos anos fui ficando cada vez melhor… Que nem vinho! Faz-me rir, mas não me deixe de fazer sonhar… Mas, porque há momentos que merecem essa paradinha, essa fuga da realidade.

Então, nada como fazer uma Oração ao tempo, com Caetano Veloso…

♪… Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo… ♪

Se ele vai me atender, não sei, mas me veio a Resposta ao Tempo, com Nana Caymmi…

♪… E o tempo se rói
Com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor
Prá tentar reviver… ♪

E assim vou vivendo, cantando, amando, sonhando e envelhecendo no tempo e/ou fora dele. Ou não?
Um brinde ao tempo… Celebremo-lo!
Beij♥s carinhosos…

Saudade…

Qual folha ao vento, vou flanando…

Há incertezas…

Há amor!

Solidão… Solitário… Somente?

A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana.

A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro.

O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se,
o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.

Vinicius de Moraes

 Estava aqui me debatendo com as idéias a cerca da maior solidão, mas ela me parece tão grande que não consigo encontrar palavras que me ajudem a por em ordem tantos desalinhos existenciais, quiçá sentimentais…

Há solidão, há solitários, há VIDA, nem que seja a minha, nesse emaranhado, tentando ergue-se do abandono.

E como diria a Lispector e eu corroboro…

Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.

Há música e há poesia… Permanece a esperança!

Beijos

esperançosos

Entradas Mais Antigas Anteriores