Entender… Sei que nada sei!

 

Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras.

Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito.

O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Clarice Lispector

A idéia é fascinante, até porque há horas que penso ser preferível não entender… Quem não vê além sofre menos, se angustia menos ainda e por conseguinte deve ser mais feliz… Não sei se há veracidade nisso, mas que deve se viver mais light, ah isso deve!

E como Lispector bem disse, não entender pode não ter fronteiras… E eu cansei de viver nos limites! Quero ir além, mesmo que pra isso eu precise não entender e ultrapassar todas e quaisquer fronteiras…

E se for pra entender, que seja um tiquinho de nada…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: