Visualizando o tempo… É tempo de se ter tempo!

E cá estou eu a pensar, de novo, no tempo. Não apenas no que se foi, mas, principalmente, no que estou a viver… Obrigada, Senhor, por mais esta oportunidade!

Como bem disse o Pessoa, o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. Hoje, percebo quão precioso é esse meu tempo aqui, envolto nos caminhos da vida, que me fazem parar e agradecer por esses momentos e por todos que me perpassam… Obrigada, amigos, por tanto amor e aprendizado!

Quintana há muito me havia alertado que não devíamos fazer da nossa vida um rascunho, pois poderia não termos tempo de passá-la a limpo. Portanto, só me resta viver, nesse tempo que me foi dado, com todo amor, até porque ♪… É preciso amar as pessoas, como se não houvesse amanhã… ♪

Essa idéia do amanhã, como o imponderável que não se tem fim, me traz à tona o conceito de eternidade… Seremos ou não? Ah, eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata, já dizia Drummond.

Em compensação, Lispector nos aponta outra faceta, a de que o tempo passa depressa demais e a vida é tão curta. Então — para que eu não seja engolido pela voracidade das horas e pelas novidades que faz o tempo passar depressa — eu cultivo um certo tédio. Degusto assim cada detestável minuto. E cultivo também o vazio silêncio da eternidade da espécie. Quero viver muitos minutos num só minuto… A cada um o seu livre arbítrio, claro! Ai, ai… C’est la vie!

Também admiro a sabedoria shakespeariana… O tempo é muito lento para os que esperam. Muito rápido para os que tem medo. Muito longo para os que lamentam. Muito curto para os que festejam. Mas, para os que amam, o tempo é eterno. E chega Vinícius com todo amor, em seu soneto da fidelidade, nos dizendo… Que seja eterno enquanto dure! Então, fazer o quê?

Não tenho todas as respostas, mas muitas indagações. Em alguns casos, até concordo com o Rubem Alves quando diz que, já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas. As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos. Quero a essência… Minha alma tem pressa!

Sim, tenho pressa, mas só quando penso na compreensão da essência humana, do contrário sou que nem o Neruda… Me encante com uma certa calma, sem pressa. Tente entender a minha alma! Quer beleza maior que a busca do entendimento humano? Não há nada e nem tempo que nos impulsione a não fazê-lo. ♪…Depende de nós, se esse mundo ainda tem jeito… ♪

E como bem disse Saint-Exupéry, foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante… Tão ou mais sentimento refletiu em mim, pois foi o tempo que perdeste em vir me felicitar, que alegrou meu dia. Não só me cativou, mas me tornou co-responsável, também, por embelezar os seus… Obrigada!

Beij♥s eternizados pelo tempo… Haja amor!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: