Viver…

 

Um dia é diferente do outro.

Basta que usemos os olhos do coração para diferenciá-los.

Que hoje você só consiga ver e perceber as coisas lindas que a vida pode lhe oferecer.

Veja, sinta e participe desta linda ciranda, chamada Vida!

Um sopro de carinho em seu viver…

Beijos

Sabe-se lá…

 

Acordar com a sensação de que o tempo está me sendo subtraído, é péssimo! Digno, ao menos, de uma averiguação antropológica pra delimitar ou não tal hipótese e as possíveis conseqüências em minha estadia nesse orbe terrestre…

É o peso do presente, com seus anseios, amores e mil sonhos a prender-me qual raiz em solo fértil, mas também sofro a ação do tempo futuro, que me acena com a liberdade, com reencontros e aprendizado numa nova estação, num novo tempo, balsâmicos e harmônicos…

E agora, Vida, o que fazer quando o cenário se apresenta bifurcado?

Corro na contramão do tempo e tento resgatar o que se esvai, e que se lançou em contagem regressiva, ou jogo-me nessa bem aventurada transição, que não só permite o congraçamento de almas que se buscam, mas que também aproxima-nos de outras, criando laços indissolúveis… E agora, Vida?

Não sei qual rumo tomar e nem como agir…  E agora, e agora, Vida?

Cala-se a voz, gemidos n’alma, olhos banhados em emoção vão me paralisando… Tempo, tempo, tempo!

Quero hibernar, não só pra esquecer, mas, principalmente, prolongar minha estadia…

Já estou sentindo saudades…

Beijos de carinho em nossa amizade…

Tempo poético…


o alfabeto sai em festa
as letras se juntam
em comemoração
as palavras soltam vivas

dia especial
falem, pessoas
tagarelem
soltem as letras
que travam na garganta

vamos poetizar o amor
vamos dar prosas a paixão
vamos romancear a amizade
vamos escrever a crônica da vida

deixemos a poesia falar mais alto
em nome da beleza
do prazer
da emoção

versejem
rimem,
versem

as letras nos permitem
tamanha ousadia.

Ivanilton Tristão

Já que é assim, vamos que vamos reescrever a crônica da vida, poetizando o amor, romanceando a amizade e permitindo ao tempo, que o fluir das letras marquem horas, minutos, quiçá segundos de uma explosão literária nunca dantes vista cantada em prosas e versos o prazer de ser quem és e de permitir ao outro o seu desabrochar primaveril…

Que venha, não só o tempo poético, mas você também, meu bem querer, que é a poesia personificada num corpo de homem…

Pra não perder a prosa, dando vez à ousadinha, e muito menos a música, explodiria numa só voz, além da de Fafá de Belém, é claro ♫ …que me venha esse homem… ♫

E assim, na medida do possível, vencendo barreiras e destravando as emoções, vou transformando meu viver num grande e inesquecível sarau…

Esse é o tempo. O meu tempo. O seu tempo.

O nosso? Só o tempo dirá…

Poetize-o!

Onde vivo…

Depois de um Sarau Musical, haja inspiração através de Manuel Bandeira e tantos outros que poetizam meu ser…

 Vivo um sonho poético…  Adentrei ao mundo da fantasia e lá quero permanecer até ver florir o universo de palavras mágicas, qual chuva de letrinhas deslizando pela orbe e formando o mais belo arco-íris de  amor fraternal.

Onde você estiver…

Sigo…

                        Emoções

                               Sentimentos

                       Palavras

                                                                 Ditas ou não

Sigo…

                      Rastros

                      Poesias

                                                                                Viajando no tempo

                                 Sigo…

                              Meu pensamento em você!

Tempo ao tempo…

.☆.

Algumas vezes é preciso silenciar, sair de cena e esperar que a sabedoria do tempo termine o espetáculo…

.☆.

Além da janela…

 

Há vida além da janela d’alma… Vivam-na!

Mesmo que o silêncio insista em se instalar…

Esperneie

Sussurre

Grite

Mas não permita!

O mundo não para porque meu coração foi partido

e nem me dá tempo pra que o conserte…

Vou seguindo!

Entradas Mais Antigas Anteriores Próxima Entradas mais recentes